Como

Levar as histórias de vida à praça. Dar a oportunidade à alteridade, à igualdade, à justiça na conversa e nas diferenças. Quanto menos prepotência (do Eu), mais respostas positivas para as necessidades humanas básicas (os direitos). A história da cidadania se faz exercitando a cidadania.